domingo, 18 de setembro de 2016

EIS QUE DE REPENTE QUERIA TODO MUNDO QUE EM CENA ESTIVESSE SANTO E TEREZA

Santo em ação na novela Velho Chico
A morte de Domingos Montagner no Rio São Francisco (Velho Chico) - que dá nome à novela da qual ele era um dos principais protagonistas, foi realmente uma tragédia; para a família e para o público, que por ora chora. Há os que nunca choraram com a perda de um parente ou amigo e agora choram frente às câmeras. Na simplicidade de fã, exibicionismo, ou a triste constatação de que o artista não é imortal, toma o lugar da família e dos amigos.
A vida real, às vezes, é cruel até com quem não tem por quem chorar. Por isso, o público chora. Foi o ator Domingos Montagner que morreu e agora todos sabem ser ele o Santo da Novela. Muitos dos que choram não sabiam nem o seu nome na trama. E quantos Domingos, em um dia de domingo, ou não; ou Franciscos, conhecidos por Chicos, ou não, morreram da mesma forma, tragado pelo rio? Talvez, ali mesmo.
A apresentadora dando a notícia da morte do ator


Daqui a pouco, o público esqueceu. Mas, a família, os parentes, os amigos mais próximos, os que sabem que ele não é o Santo, mas sim o Domingos Montagner, estes ainda vão sentir muito: a casa vazia, a ausência no dia-à-dia, a troca de gentilezas; o abraço amigo, o carinho das palavras, etc. Para estes, a importância não está em se quem morreu era um ator, no auge da carreira na Globo, ou não. A morte é realmente uma tragédia no meio artístico, pois ela leva o homem, ou a mulher junto com seus personagens. E quando ela chega ao artista no meio de um trabalho, mais doloroso é. E foi assim, no intervalo da dramatização com a vida real, no lazer que buscou ao lado da colega de cena em um cenário real, que aconteceu. E eis que, de repente, todo mundo desejava, até mesmo a família e os amigos juntos com o público, que nesta cena estivessem Santo e Tereza e não Domingos Montagner e Camila Pitanga.

Fotos capturadas do You Tube, via computador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário