sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

EVASÃO ESCOLAR MUNDIAL DE 121 MILHÕES É CONFLITANTE

Crianças de comunidade carente em entidade de apoio à escola
 (Foto; Arquivo Pessoal)
Um documento apresentado em Londres pela ONU (leia Unesco), associado com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), conflita com a promessa da comunidade internacional, quanto ao ideal de alcançar a Educação para todos em 2015. Isto porque, a própria ONU apurou que há no mundo 121 milhões de crianças e adolescentes afastadas da escola.
Tal cenário vem mal desde 2007, sendo que o número de adolescentes é bem maior que de crianças. Parte do afastamento dos bancos escolares se dá por desistência e por milhões que nem iniciaram os estudos.
Na opinião da diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, o método tradicional de mais professores, mais livros didáticos e mais escolas não vem sendo eficaz. O caminho é a busca por crianças menos favorecidas. A pobreza é o maior vilão da educação.
Mas, as áreas de conflito, o trabalho e a discriminação são também impedimentos à educação infantil.
Três prioridades de investimentos na educação de crianças e adolescentes são fundamentais, conforme enumerou Anthony Lake, diretor executivo do Unicef: aumentar o número de frequência na escola primaria, garantir a permanência delas, principalmente das meninas - pelo menos até o nível secundário e melhorar a qualidade da aprendizagem. 
Texto com base em reportagem da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário