domingo, 6 de abril de 2014

"TE TENHO" E "JARDIM DA VIDA" SÃO VERSOS MEUS DE 1998

São poesias 1998, românticas, bem mais novas, comparadas com as últimas publicações dominicais. Aos sábados e domingos trago aqui textos opinativos, crônicas, artigos e poesias minhas ou de amigos. Publico a sua também, se você quiser. Escreva-a no comentário ou mande-a para meu e-mail, cesardulcidi@bol.com.br. Obrigado.

TE TENHO
Estes olhos colados de sono, de manhã
teu sorriso, teu olhar maroto
te faz menina e me faz garoto
Teu hálito, teu cheiro
Tua boca ávida, com tua tez impávida
São ingredientes que me fazem felizes
se tu sentas em minha frente,
me traz serenidade
se te retiras... ou se não vens,
a solidão me invade
Que bom que te tenho; mas, tenho que ir...
e já estou com saudade!

JARDIM DA VIDA
Sintonia multicolor no meu viver
É a vida transbordando formas, figuras geométricas
É o amor incolor, sem formas, sem medidas
No espaço-tempo-passado-presente,
o futuro é uma consequência
Vagueio no infinito pensando, pensando, pensando:
o que me falta encontrar no sagrado natural que tornará minha vida ainda mais bela”?
Na natureza, o centro de tudo pode ser a flor
Cantada, contada e versada em literatura
Brasileira, estrangeira; interespacial; bíblica
E se tratando de flor, “os lírios do campo...”
Parafrasearam vários poetas, escritores, filósofos e compositores
É de uma beleza incrível que me deixa incomodado
Pois nem todas as flores são femininas no nome
A rosa, a margarida, a violeta, e por ai vai...
O cravo pode até ser exemplo de masculinidade
por adornar lapelas, principalmente, em ternos
Mas há ainda o lírio, o copo de leite...
O achado mais recente da natureza é Líria
Adianto já: não é flor; é como Lilian, Lília e Míria
Uma mulher!
e a minha natureza aplaude, e sem alarde
Guardarei só para mim tal descoberta do jardim da vida 

Nenhum comentário:

Postar um comentário