quarta-feira, 2 de outubro de 2013

OPORTUNIDADES SURGEM EM LUCAS DO RIO VERDE

Um novo mapa sobre migrações ocorridas entre 2005 e 2010, em Mato Grosso do Norte, foi revelado pelo IBGE, e o destaque do Jornal Nacional ficou com Lucas do Rio Verde. Surgida nos anos 1970, na era do governo militar, a localidade se especializou na produção de soja e tem uma renda per capita de R$ 53.933, mais que o triplo da média brasileira (R$ 16.634).
Conforme a reportagem, o cereal tem levado diversos profissionais ao lugar, onde ficou constatado um movimento migratório ainda intenso, com a chegada de profissionais de todas as partes do país. O Jornal ouviu uma dentista de São Paulo, que levou seu consultório montado e um pedreiro do Paraná.
O repórter Rodrigo Alvarez pergunta o que leva tanta gente a Lucas do Rio Verde, um local muito quente, localizado a mais de 300 quilômetros de uma metrópole. E ele mesmo responde: “A soja e da cor do dinheiro e a plantação do tamanho da oportunidade!”, diz ele.
Segundo a reportagem, no fenômeno migratório, três cidades da região - Sorriso, Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, 11.606 pessoas escolheram a última, onde há 18 escolas públicas e tem uma taxa de alfabetização igual de São Paulo. Os edifícios de 10 ou mais andares se propagam.
Planejada como Brasília, em Lucas do Rio Verde o setor comercial é separado do residencial. Suas avenidas são largas como se fosse uma capital. Lá, apenas uma única fábrica contratou mais de 4 mil funcionários “Uma cidade que parece de outro país”, resume Rodrigo Alvarez.

Com base em reportagem de o Jornal Nacional de Novembro de 2012 -


Nenhum comentário:

Postar um comentário