segunda-feira, 22 de abril de 2013

CASCA DE BANANA PODERÁ TRATAR ÁGUAS POLUÍDAS

A casca de banana pode ser usada no tratamento de água contaminada por pesticidas. É o que comprovou um estudo da USP, feito por pesquisadores do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena). Os testes foram feitos com amostras coletadas nos rios Piracicaba e Capivari, no interior do estado de São Paulo. A casca absorveu 70% dos químicos encontrados nos pesticidas atrazina e ametrina.
- Já existiam outros estudos de uso da casca para absorção de metais, como urânio, cromo, então veio a ideia de utilizá-la para os pesticidas. Constatamos uma boa absorção também desses compostos orgânicos, explicou à Agência Brasil a pós-doutoranda Claudineia Silva, uma das pesquisadoras envolvidas com o trabalho.
A casca da banana, usada como agente de descontaminação, pode ser recolhida inclusive no lixo. Ressecada ao sol por uma semana ou em estufa a 60 graus Celsius (°C), ela diminui o tempo do processo para um dia. Após a secagem, o material é triturado e peneirado, tornado-se pó e então é despejado na água. Em laboratório, faz-se a variação da quantidade de casca e do tempo de agitação. A seguir verificam-se as melhores condições para obtenção de um melhor resultado.
Segundo a pesquisadora, os testes foram feitos apenas em laboratório, com pequenas quantidades. Seriam necessários testes piloto para atestar a eficácia em grandes proporções. A presença de grupos de hidroxila e carboxila da pectina na composição da casca, que corresponde de 30% a 40% do peso total da fruta, é que garantem a capacidade de absorção de metais pesados e compostos orgânicos. 
Apesar de não comprovada a toxicidade dos pesticidas em seres humanos, a utilização de ametrina é proibida nos Estados Unidos por provocar mutação em espécies aquáticas.
Camila Maciel - Repórter da Agência Brasil

Texto Compactado e adaptado - site Agência Brasil –Foto: Arquivo Pessoal -


Nenhum comentário:

Postar um comentário