terça-feira, 30 de abril de 2013

CAATINGA PODE ABSORVER MELHOR GÁS CARBONICO

Pesquisadores do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, testam para saber se a vegetação da Caatinga pode ser mais eficiente na absorção do gás carbônico na atmosfera do que as florestas úmidas. O estudo vem sendo feito por meio de duas estações micrometeorológicas em Campina Grande/PB. O Objetivo é monitorar o dióxido de carbono absorvido pelas plantas da região. Com os resultados obtidos, eles pretendem informar aos governos e, principalmente, à população moradora do semiárido. 
O físico Bergson Bezerra disse que é importante preservar a vegetação nativa da Caatinga como forma de diminuição dos impactos provocados por alterações climáticas. Segundo ele, existe um preconceito com o bioma caatinga: muitos ancham que lá não nenhum tipo de vida e o ambiente e hostil e inóspito.
- Queremos provar cientificamente que isso não tem fundamento, disse. 
A recuperação do bioma com especies nativas preserva o patrimônio existente no semiárido e ainda combate as alterações do clima, com a absorção eficiente no carbono na atmosfera.
A caatinga é apontada pelos pesquisadores como um dos biomas mais vulneráveis às mudanças climáticas, associadas aos efeitos do aquecimento global e da exploração e devastação humana de forma desordenada e insustentável.

Abaixo, as Piadas publicadas
 no mês de abril no Blog -

O BOM PAGADOR
Um homem estava no bar, tomando uma cerveja gelada. Próximo a ele, um bêbado dormia numa mesa. De dez em dez minutos o dono do bar chegava no homem, que cheirava a cachaça, dava um chacoalhada no infeliz e gritava:
- Acorda!
Passava um pouquinho, o homem levantava, ia ao banheiro e voltava a dormir na mesa.
Depois da terceira ou quarta vez, o homem da mesa ao lado não aguentou e perguntou ao dono do bar.
- Por que você ta acordando o cara, mas depois deixa ele voltar e dormir na mesa de novo?
- Não é nada pessoal. É que este bêbado é bom pagador e toda vez que eu o acordo, ele me paga a conta. 
Extraída: Jornal Extra – Edição de domingo, 6 de Janeiro de 2013 (Revista Canal Extra)

LIVROS
Duas mulheres conversam sobre livros. Uma diz:
- Gosto de livros em que a gente não sabe o fim e tudo pode ter um final feliz ou acabar em tragédia.
- Como por exemplo?
- Livros de receita. 
Revista Seleções Reader’s Digest – Edição Mar/2013 –

TREMEDEIRA
O médico nota que o paciente está tremendo:
- Você deve beber muito!
- Não, doutor. Desde que comecei a tremer, derramo mais do que bebo.
José Manuel Rodrigues - Revista Seleções Reader’s Digest – Edição Abr/2013 Ficou 
J
JOÃOZINHO
A professora pergunta aos alunos;
- Quem aqui reza antes das refeições? 
Todos levantam a mão, menos o Joãozinho.
- Joãozinho, você não reza antes das refeições?
- Não “fessora”. Lá em casa não precisa! A minha mãe cozinha bem.      
Ingrid Maria Guaragni – Chapecó (SC) - Edição Abr/2013 –

A HOMENAGEM
O homem pede uma cerveja e dois copos. Pede para o garçom servir os dois copos; toma tudo, paga e vai embora. No dia seguinte, a mesma coisa. Curioso, o garçom quer saber. O homem diz ser para amigo de copo, que está muito doente.
Certo dia, o homem pede a cerveja, com um copo. O dono do bar serve a bebida e dá as condolências pelo suposta morte do amigo.
- Não, não! diz o sujeito. Meu amigo não morreu. É que ele deixou de beber. 
Jornal Extra, domingo, 23 de setembro de 2010 – adaptada –

INICIAÇÃO SEXUAL
O marido chega para a mulher e diz:
- Já está na hora de temos uma conversa com a Julinha sobre sexo.
- Eu já conversei – responde  a mulher, enquanto enxuga a louça.
- E aí?
- Ela meu deu uma dicas ótimas
Extraída da Revista O Globo de 10 de Julho de 2011 – Seção GenteFina – Bruno Drummond –

O TOQUE
A senhora acabara de chegar ao Rio e tomou um táxi. O taxista, por incrível, quase não falou, durante todo o percurso. A mulher resolveu lhe fazer uma pergunta e tocou no seu ombro. O motorista deu um grito e quase perdeu o controle do caro.
- Minha nossa! Eu não sabia que o senhor se assustaria com um toque no ombro.
- Não me leve a mal, minha senhora, é que hoje é meu primeiro dia como taxista.
- E o que o senhor fazia antes?
- Fui motorista de carro funerário por 25 anos!
Gilson da Silva, Suzano (SP) - Revista Seleções Reader’s Digest – Edição Nov/2013 - (adaptada) –

“RODAR BOLSINHA”
A situação estava precária e o marido, um cafetão, de valores totalmente invertidos, vira para a mulher e diz:
- É mulher, você vai ter que se virar para ajudar no orçamento da casa. 
Sabendo da situação e de sua sina a mulher, sem titubear, pega a “bolsinha” e vai a luta. Dois dias depois ela retorna e ciente de seu compromisso entrega ao marido 501 dólares. Satisfeito e com um pouco da hombridade que ainda tinha, curioso, o homem pergunta:
- Quem pagou 1 dólar?
- Todos, responde a mulher. 
Adaptada do jornal da Associação dos Portadores de Deficiência Física (APDF/BM) – Edição de Abril de 2013 –

OS INSETOS
A mulher estava tendo um caso com o dedetizador. Um dia o marido chega em casa de uma forma inesperada.
- Rápido, para o armário! – ela disse ao amante enquanto o empurrava completamente nu.
No entanto, desconfiado, o marido descobre o homem no armário e acontece o seguinte diálogo:
- Quem é você?
- Sou o dedetizador.
- O que está fazendo aí?
- Investigando uma reclamação sobre infestação de traças.
- E onde estão suas roupas? 
O homem olha para baixo, observando a si mesmo, e grita:
- Aqueles malditos insetos! 
Revista Seleções Reader’s Digest – Edição Fev/ 2013 –


Nenhum comentário:

Postar um comentário