sábado, 12 de junho de 2010

PALCO DA VIDA

O espaço entre nascer e morrer terá que ser preenchido com a representação de um drama, que traz como título "VIDA". Uns desempenham o papel de palhaços, mas como verdadeiros artistas; outros querendo ser artistas, desempenham seus papéis como verdadeiros palhaços. Na mesma exibição, há mendigos que representam o papel de verdadeiros reis e há reis que representam o papel de verdadeiros mendigos.
E assim continua o drama, cujos personagens vão mudando de tempos em tempos, mas a comédia, e suas variações dramáticas, é sempre a mesma. Os artistas desaparecem misteriosamente, um por vez, sendo que a última exibição de cada um é sempre a mesma - o encerramento das cortinas sobre a cena cujo nome é "morte"; algumas flores e um adeus de saudade.
A desconhecida sequência ficará na esperança oculta de enigmas misteriosos, que se processam na existência do infinito. E assim é o eterno drama da humanidade e dos séculos, que é exibido no palco da vida.
Texto extraído do livro De vencido a Vencedor , de Roberto Stanganelli - 8ª Edição - Edições Culturama - São Paulo -

Nenhum comentário:

Postar um comentário