domingo, 13 de novembro de 2016

O CONTRATO COM O SONO E O TEMPO PARA O POETA NÃO TEM DATA

MEU CONTRATO COM O SONO E O TEMPO NÃO TEM DATA

Você faz falta e falta tanto pra lhe ver

No canto do quarto canto um canto de saudade
E  um quarto de toda a minha mente
Está tomado por  suas lembranças
Por isso, rezei um terço
E fiz uma aliança com meu sono
e um contrato meio a meio com meu corpo/mente
Sonhar sonhos de imagens de sonhos e de sons com você

Mas, que estranho!?

Meu ser reclama da ausência de se seu perfume
e sente ciúme da falta que eu sinto de você
e mesmo que eu acorde ou durme
Viverei sem paciência
E sem a essência de seu cheiro
o motor dentro de mim não funciona
Pois, você é meu combustível e isto me emociona

Ainda agora mesmo descobri que não me abasteço

e padeço se pelo menos não ouvir sua voz
que sempre esqueço quem sou, quando penso em nós

Autor: César Dulciidi

A Poesia Própria e Alheia é uma seção mantida há anos na coluna, às vezes à esquerda, outras à direita da pagina. Agora vem bem aqui, sempre aos domingos (ou aos sábados), no 'espelho' principal. Se deleite, os que gostam de versos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário