terça-feira, 6 de outubro de 2015

MAIS UM ACIDENTE COM CRIANÇAS CHOCA O PAÍS E ONG DÁ DICAS DE SEGURANÇA

Foto: Portal do Consumidor
O Portal do Consumidor manchetou na segunda quinzena do mês de setembro: ONG dá dicas para evitar quedas de criançasO acidente  chocou o chocou o país, dizia a reportagem, para informar que, acidentes como esse alertam para uma questão importantíssima: a segurança dos pequenos. De acordo com a ONG Criança Segura, as quedas são responsáveis por 5% das mortes de crianças e adolescentes hospitalizados no país. 
Com isso, prosseguem os dados: em 2013, 211 crianças morreram ao caírem de algum lugar; em 2014, 58 mil foram internadas. Para evitar que isso ocorra na sua casa, não tem jeito: é preciso se precaver. "Não é necessário criar uma 'bolha' para que não aconteça nada com a criança, mas é importante oferecer um ambiente seguro para ela poder brincar e se desenvolver de forma saudável", orienta Gabriela Guida de Freitas, coordenadora nacional da ONG Criança Segura informada na reportagem.
O acidente - O menino Gustavo Storto, de 5 anos, morreu ao cair do 26º andar do prédio em que morava com a mãe, em Taboão da Serra, na Grande São Paulo. A mãe, Juliana Storto, informou à polícia que deixou o filho dormindo sozinho em casa quando foi buscar o namorado em uma estação de trem na Zona Sul da capital paulista. Ao retornar, encontrou as luzes acesas e duas cadeiras no box do banheiro. E viu, ao olhar para baixo, o corpo de Gustavo no estacionamento. A polícia ainda está investigando o caso.
Abaixo, algumas dicas da entidade para prevenir as quedas:
  1. As crianças devem brincar em locais seguros. Escadas, sacadas e lajes não são apropriados;
  2. Use portões de segurança no topo e na base das escadas. Caso a escada seja aberta, instale redes ao longo dela;
  3. Coloque grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos. As redes devem ter espaços de no máximo 6 cm;
  4. Crianças com menos de 6 anos não devem dormir em beliches. Se não tiver escolha, coloque grades de proteção nas laterais;
  5. Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas, pois podem facilitar que crianças os escalem e se debrucem para fora do prédio ou casa. Além disso, verifique se os móveis e o tanque da lavanderia estão estáveis e fixos;
  6. Ao andar de bicicleta, skate ou patins, o capacete é o equipamento fundamental. Ele pode reduzir o risco de lesões na cabeça em até 85%;
  7. Tenha cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes;
  8. Crianças devem ser sempre observadas quando estiverem brincando nos parquinhos. O risco de lesão é quatro vezes maior se a criança cair de um brinquedo com altura superior a 1,5 m. Verifique se os brinquedos estão em boas condições e se são adequados à idade do seu filho. O piso deve ser de absorção para a queda, como gramas, areia e borrachões com espessura acima de 3 cm;
  9. O uso de andadores não é aconselhado pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Além de comprometerem o desenvolvimento saudável da criança, podem causar sérias quedas;
  10. Na hora de trocar fraldas, mantenha uma mão segurando o pequeno. Nunca deixe um bebê sozinho em mesas, camas, trocadores ou outros móveis, mesmo que seja por pouco tempo;
  11. Crianças não devem brincar perto de barreiras e barrancos .
  12. A queda de objetos pesados sobre a criança, como televisores por exemplo, também pode causar lesões graves e até a morte. A televisão costuma ser muito atrativa para os pequenos, com tantos botões, imagens e sons. A criança pode tentar mexer sozinha no eletrodoméstico ou mesmo equilibrar-se nele para levantar do chão, causando a queda da TV - ou qualquer outro objeto pesado - sobre ela. Por isso, supervisione sempre o seu filho, mesmo que em uma atividade a princípio sem riscos, como assistir televisão. Certifique-se de que os móveis, além de fixos e estáveis, podem suportar bem o peso do aparelho.
    REPORTAGEM EXTRAÍDA DO SITE PORTAL DO CONSUMIDOR -



Nenhum comentário:

Postar um comentário