domingo, 28 de abril de 2013

A CAATINGA É LAMENTADA NA CÂMARA FEDERAL

Na homenagem feita à caatinga em sessão solene na Câmara dos Deputados  Federais, na última sexta-feira (26), o que se viu foi que a destruição dos biomas Caatinga e Cerrado prosseguem. A sessão, apesar de bonita, cheia de pompas – com a participação do Trio Nordestino Asforró e de alunos de uma escola de Brasília, não apresentou solução para o problema.
Segundo o deputado Amauri Teixeira/PT-BA, 46% da caatinga e 56% do cerrado estão devastados. Com discursos bem elaborados e dados previamente consultados e de conhecimento de muitos, outros políticos também falaram, alguns exaltando o criador da Proposta de Emenda à Constituição n. 504/2010, pelo Senado Federal, que sugere alteração de artigo, incluindo os dois biomas como patrimônio nacional, algo que sempre foi. A Unesco já considera os dois biomas patrimônio da humanidade, o que também foi lembrado.
Faltaram “projetos” de defesa militar e recuperação dos biomas. E como o bioma Amazônia, onde o contingente e sempre pequeno e o avanço das serras elétricas se faz presente.
O trio nordestino fez a sua parte, assim como as crianças, impacientes com os longos discursos, e suas professoras que levarão apenas estatísticas. Além do Hino Nacional, a “Asa Branca” não podia faltar e apresentou o verdadeiro lamento dos cantores simples do lugar, representando  o povo brasileiro.
As comemorações, além da caatinga, cujo Dia Nacional é hoje, são também para o cartão postal, a sogra e educação. A sessão, transmitida pela TV Câmara, ficou com cara nordestina como lembrou o deputado. Mas, com formato burocrático.

Nenhum comentário:

Postar um comentário