terça-feira, 3 de agosto de 2010

TÉCNICAS ELIMINAM USO DE APARELHOS DENTÁRIOS

Chega de aparelhos de metal parecidos com arame e aplicações de resinas nos dentes que interferem na voz e dão a impressão de que se carrega ovo na boca. Acrescente-se a isso a dificuldade de higiene, o incômodo e a sensação de ter ficado mais feio (a). Parafraseando os humoristas de um programa de TV semanal, "agora seus problemas acabaram" ou estão para acabar. Cirurgiões dentistas paulistas estão utilizando técnicas e massagens para o alinhamento da arcada dentária. Outra forma, é orientar os pacientes para usar a força da própria mastigação e da língua, com flexão maxilar, visando a correção.
Com isso, elimina-se a necessidade dos artefatos fixos ou móveis, que causam incômodo e dificulta a escovação. Os diagnósticos são os mesmos que os do tratamento convencional por meio radiografias e de moldes da arcada dentária em gesso. Visando impedir um desgaste desigual e um esforço maior de um lado, o dentista aplica resinas sobre os dentes, que alteram a forma de mastigar. 
- "É como se a pessoa tivesse um grão de areia no dente. O cérebro identifica aquilo entre os dentes de baixo e de cima quando se mastiga, por menor que seja, e passa a compensar a mordedura", explica o coordenador do curso de especialização de ortopedia funcional dos maxilares da Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas, João Alberto Martinez.
As massagens nos pontos de crescimento da gengiva e da face estimulam o crescimento dos dentes onde é necessário. A língua, músculo mais forte do corpo humano, pode ter sua energia canalizada por pedras esculpidas para acertar a composição da arcada. Adulto também pode fazer o tratamento. 
- "As técnicas para alinhar os dentes sem o uso de aparelhos funcionam tão bem em crianças quanto nos adultos, afirma cirurgião dentista João Alberto Martinez. De acordo com ele, a diferença é que, nas crianças, a técnica avança mais rápido e nos adultos o avanço é mais demorado, mas funciona da mesma forma. Martinez acrescenta que é preciso investigar também fatores relativos de cada paciente, como seu biotipo, a gravidade dos problemas que tem e até o tipo de alimentação.
Com as técnicas utilizadas, quase não há necessidade da extração de dentes.
Texto com base em reportagens de o Jornal Expresso Regional e o Diário do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário