domingo, 18 de julho de 2010

TROVA É UM POEMA COMPLETO COM QUATRO VERSOS

Hoje é Dia Nacional do Trovador

“Fazer trovas faz bem. A trova e o trovador são imortais.” Já dizia o saudoso escritor Jorge Amado. A trova é um poema completo em quatro versos de sete sons, rimando o primeiro verso com o terceiro e o segundo com o quarto. Daí por diante, depende apenas da criatividade de quem a escreve.

São diferentes na Internet
todos os blogs que há
eles, porém, nos remete
a um assunto particular

Fazer blog é como trova
todos fazem com liberdade
cada minuto surge uma nova
por instinto e necessidade

Melhor que fazer o mau
é blogar em paz, com alegria
pois se tudo parece mal
escrevendo melhora o dia

Há informações diversas
que nunca serão à luz de vela
Virtuais são as conversas
Em que cada espaço e janela
Mauro César Barbosa – Barra Mansa/RJ

As trovas a seguir foram extraídas do Almanaque Santo Antônio, anos 2008, 2009 e 2010, publicado pela Editora Vozes.


Carente, faminta e triste...
Criança, tu me revelas
que manjedoura linda existe
na rotina das favelas
Eliana Dagmar - Amparo/SP

Jamais me queixo da cruz
que levo em meu coração.
- Comparada a de Jesus,
a minha é de papelão.
Adolfo Macedo - Magé/RJ

O amor não tem semente
por isso não é semeado
nasce no peito da gente
num momento inesperado
Ivanete de Araújo – Cipó/BA

Em cada ação que faço
no viver de cada dia,
eu vou contando os meus passos
no rosário de Maria
Renê Bastos Baptista – Rio de Janeiro

Em cada gota extraída
do seu sangue,o doador
empresta vida a outra vida
numa transfusão de amor
A.A. de Assis – Maringá/PR

Leva, por onde fores,
Tolerância, perdão e carinho.
Assim, transformarás em flores,
as pedras do teu caminho
Adelson de Britto – Campos do Jordão/SP

Meu presente pra Jesus
é amá-lo sempre mais;
ser no mundo uma luz,
um farol para os mortais
Aurélio Rodrigues de Loiola – Paulista/PE

Um menino vai nascer
um novo sol há de brilhar
e que haja em cada coração
um lugar pra Jesus morar.
Clarice Bermond – Ji-Paraná/RO

Mãe teu semblante amado,
nos retratos que guardei,
me fez voltar ao passado
e de saudades - chorei
Daura Rocha Barbosa Resende – Petrópolis/RJ

Para quem acredita em Deus,
há sempre um caminho aberto.
Encontrarás um oásis,
mesmo em pleno deserto
Gumercindo de Alcântara – Jacareí/SP

Se uma rosa fosse mãe
seria a mãe do jardim das flores
percorria o mundo inteiro
exalando seus odores
Hebe Travassos Soares – Governador Valadares/MG

Meu cavaquinho atrevido,
amigo do peito meu,
vendo o que eu tenho sofrido,
chora ele e, choro eu
Helson Jorge – Montes Claros/MG

Para vencer o mal
e conquistar dias risonhos
não largues teu ideal
não abandones seus sonhos
Joaquim Pereira da Silva neto – Lagoa/PB

Num mundo sedento de amor,
e necessitado de compreensão,
pedimos, ó Deus, a sua mão,
Para que haja Jesus no coração.
Manoel Pinto da Silva Filho – Rio de Janeiro/RJ

Se difícil é o caminho,
complicado, mas correto,
vem de Deus todo o carinho
que sempre estará por perto...
Maria Cardoso Zurlo – Caxias do Sul/RS

A vida é lição constante
em tudo o que se executa
mas só se aprende o bastante
quando se chega o fim da luta.
Maria Luzia Ribeiro de Azevedo – Mirassol/SP



Coletânea do historiador barramansense Alan Carlos Rocha, extraído de seu livro “Três Caminhos” – impresso pelo GRÊMIO BARRAMANSENSE DE LETRAS (GREBAL)

A ganância do sucesso,
Meu caráter não aprova,
Por isso é simples meu verso;
Pobre e humilde a minha trova.

Borboleta do meu sonho,
Abrande a minha paixão.
Venha tornar-me risonho,
Pousando em meu coração!

São teus olhos tão azuis,
Como o azul do céu profundo,
E deles é que reluz,
A mais linda luz do mundo!

No jardim dos teus cabelos,
Muitos beijos eu deixei...
Outro dia, ao revolvê-los,
Lindas flores encontrei

Aquele beijinho quente,
Que dos teus lábios roubei,
Foi tão gostoso e envolvente,
Que por ti me apaixonei

Na loteria da vida,
A sorte grande tirei:
Foi no dia em que, querida,
Por ventura eu te encontrei

Sofro tanto nesta vida,
Já não sei o que é dor,
Choro lágrimas sentidas,
Por não ter o teu amor!

Teu lindo corpo estreitei,
Num abraço tentador,
Logo depois acordei,
-Apertando o cobertor!

Vendo que o homem tanto briga,
Tanto briga, sem parar.
Uma pergunta me intriga;
Como o mundo vai ficar?

Lua airosa e prateada,
Como é bela a tua luz!
Na cabeça cacheada,
Do meu doce e bom Jesus!

Quando Deus criou o mundo,
Deu uma bênção especial,
A um sítio Amor Profundo,
que se chama Capinzal

De lado deixa o temor!
Vem amar com plenitude!
Aproveita com ardor,
Toda a tua juventude!

Nenhum comentário:

Postar um comentário