terça-feira, 27 de abril de 2010

UM RECONHECIMENTO ÀS EMPREGADAS DO LAR

Doméstica e diarista só tem em comum o fato de serem mulheres. Enquanto a primeira tem registro em carteira, não pode ganhar menos que 1 (um) salário mínimo, tem direito às férias e ao 13º salário, a diarista não goza de iguais regalia. O termo assim como a atividade cresce no meio trabalhista, mas, ao contrário da empregada do lar, elas não têm direito ao FGTS e são consideradas autônomas. Hoje, dia da empregada doméstica, uma conquista impensável nos anos de 1970, quando as mulheres buscavam a liberdade sexual, é uma data que não pode ser esquecida.

A diarista recebe por dia, conforme o acordado com seu empregador e o salário depende do volume de trabalho. Por não ter direito ao vale transporte, a passagem geralmente entra na negociação do valor do serviço. A Lei garante hoje quase todos os direitos contidos na CLT às empregadas domésticas. Grande parte das diaristas já foi empregada doméstica e a própria criação da lei talvez, tenha forçado o surgimento desta nova modalidade.

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) entende que há diferença entre o trabalho de uma empregada doméstica e o de jardineiras, passadeiras, babás, faxineiras por conseguinte às diaristas.Tudo leva a crer que as outras denominações acabam terminando em serviços diários ou de momentos, como a pessoa que vai a casa alheia só para passar roupa. Com isso, neste dia dessas trabalhadoras, os Parabéns cabem às duas: domésticas e diaristas. Um reconhecimento às empregadas do lar, muitas, injustiçadas.

Elas ganham o mundo

Cada vez mais está se propagando as atividades de diaristas. Elas já existem em países de primeiro mundo, como nos Estados Unidos, aonde se aproveita o trabalho dos latinos, imigrantes, principalmente. A maioria em situação irregular. Há pensadores que acreditam que elas, as diaristas, tenham surgido primeiro e depois veio a empregada do lar. Mas, não faz muita diferença. Algumas dessas mulheres acabam casando naquele país, garantindo cidadania ganhando visto permanente no passaporte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário