domingo, 7 de junho de 2009

SÓ TEM ESSE? ENTÃO VAI ESSE MESMO

"O Sinai foi devolvido ao Egito em junho de 1982". Ainda me lembro, como se fosse hoje, a minha mãe estava sentava na cumeeira da porta e no rádio, na cozinha, era dada a notícia. Menino, desconhecedor da geografia, teologia, história e outras ciências, "boiei", como dizia ou diz a gíria. Na verdade, desconhecia o mundo e mamãe, religiosa, lembrou a Bíblia, da "passagem" onde Deus passou as tábuas dos mandamentos a Moisés. Mal ou bem, sabia ela que o Sinai devolvido ao Egito, geograficamente, representava a mesma região tão amplamente citada no Velho Testamento.
O Sinai é uma região montanhosa e desértica, que fica entre os golfos de Suez e Agaba, sei hoje. Estudei, pesquisei. E é um local de posição estratégica para os continentes africano e asiático. Há o Sinai do norte e do sul, com uma fauna muito variada, rica, especialmente, em aves. Sua flora também não fica para trás. A impressão que se tem, quando lemos e vemos imagens bíblicas, mapas e fotos é de que é um lugar inóspito para a vida. Todavia, a região possui mais de 5.000 classes de diferentes plantas. E tem mais, no Sinai há praias, onde pessoas frequentam como nós, os ocidentais, e se pratica o mergulho. O lugar atrai mergulhadores de todo o mundo, por sua beleza inusitada.
É importante saber, até mesmo para entender a razão de homens estarem brigando por uma área desértica, que teria simbolicamente apenas o valor bíblico, que toda a região se tornou conhecida por seus muito e numerosos poços subterrâneos. Na verdade, o Sinai é a terra do petróleo e do ouro, além de uma diversidade de minerais. Aonde convivem e conviveram pessoas de diferentes credos. Por lá passaram todos os profetas. E falamos aqui Sinai, para representar toda a região das penínsulas da África e da Ásia.
Mas hoje, tal fato me leva a uma reflexão: por que o homens da região onde historicamente, baseado na evolução criacionista o mundo surgiu, são tão obcecados por terra? A disputa histórica e bíblica de palestinos, israelitas, fundamentalistas e judeus é uma constante. E justamente naquela região se desenvolveu o autofragelo (vamos dizer assim) dos homens bombas, preparados histórica e religiosamente. Os kamikazes, ideologicamente disciplinados para a guerra, foram diferentes.
Com referência aos homens bombas, que a todo momento explode literalmente no oriente e não é mais supresa para ninguém, se é por ideologia religiosa, propósito de fé. Homens em fase da maturidade adulta, se suicida, “levando” com ele uma porção de inocentes. É de deixar intrigado, esse propósito da fé propagada. As razões são sempre a questões territoriais/religiosas. Há pouco tempo ouvi um comentário, de quem pouco conhece das ciências: "mas, que sina! esses povos não têm sossego!" Eu pergunto: o mundo tem sossego?
A humanidade vai apenas se adaptando com as situações e as gerações vindouras "traçam o que sem para traçar". É o mesmo que dizer e em uma linguagem bem moderna: "só tem esse? então vai esse mesmo". O certo é que frases não vão fazer mesmo a gente entender a razão desta briga, assim como não se entende as disputas de torcidas e gangues.

Mauro César

* * *

Essas fotos vale a pena estarem aqui, com os agradecimentos, é claro -
A primeira feita por Alessandra del Bene, de O Globo, em reportagem sobre a a ação de Bombeiros do Rio, que controlaram o incêndio, sem vítimas, ocorrido na noite de ontem (06/07), no Ceasa, em Irajá, Rio de Janeiro.












A segunda, menor, trata-se de a IMAGEM DO DIA, estampada, cada dia uma diferente, com muito bom gosto, no Site da Wikipéida. E sempre com um histórico interessante para ser pesquisado. Trata-se de vulcão Tavurvur, que joga cinzas para o alto na proximidades da cidade de Rabaul, Papua-Nova Guiné.

Nenhum comentário:

Postar um comentário