domingo, 29 de janeiro de 2017

CRISJOLI FINGAL BRINDA A TODOS COM SUA POESIA MAGISTRAL

No Destaque para Famosos e Anônimos, que não vai mais estar na lateral principal deste Blog, trago hoje a poesia do amigo Crisjoli Fingal. Lembrando, que o famoso e o anônimo sempre é algo muito relativo. O que é anônimo, ou não é famoso para uns, pode não ser para outros.

COLHEITA

Hoje, colho minha seara com muitos frutos.
Numa colheita farta em milhares de grãos
Para saciar os amigos com mensuro atributos
Depositando-os no celeiro do meu coração

Colho os frutos cultivados na terra de minha alma
Ao longo dos anos de trabalho, dedicação e luta
Com inúmeras horas de estudos e de muita calma
Colho as amizades mais belas, frutos da boa conduta 

Colho as flores plantadas no jardim do coração
Flores de paciência, de ternura e de fidelidade
Flores de juramento, de poesia, de cores e de perdão
Flores que perfumam o imaginário da identidade

Hoje, colho mais um ano de vida e de minha metamorfose
Colho minha literatura, minha leitura e minhas metáforas
Meu jeito de ser, de crer e de viver minha overdose
Colho minhas conjunturas nas facetas de minhas anáforas

Hoje, leio nesta lavra a minha singularidade
Contemplo as linhas das palmas de minha mão
Não as compreendo diante do enigma unicidade
Mas, creio que há algo no entorno desta expressão

Nenhum comentário:

Postar um comentário