quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

VITÓRIA MAIS UMA VEZ DE AFRICANOS NA SÃO SILVESTRE 2015

A nonagésima São Silvestre, que teve mais uma vez um africano como vencedor - o etiope Dawit Fikadu Admasu, terminou como uma das mais fortes da história. O brasileiro Giovani da Silva pelo segundo ano consecutivo conquistou o pódio e ofereceu a vitória ao sobrinho, morto recentemente.
Na prova feminina, o Brasil não teve o que comemorar, a brasileira que chegou mais perto ficou em oitavo lugar. Mas, ouviu-se o hino nacional, tocado no cenário dos vitoriosos, duas vezes, afinal é o país anfitrião.
O pódio de 2015, portanto, ficou assim: Os quenianos Dawit Fikadu Admasu e Stanley kipchirchir Koech ficaram, respectivamente, com o 1º e o 2º lugares; Fabiano Joseph Naasi, 3º, Mark Korir, 4º, e o último lugar com o brasileiro Giovani dos Santos. Na prova feminina, as cinco primeiras vencedoras foram Ymer Wude Ayalew, 1º,e Netsanet Gudeta Kebede, 2º, outra dobradinha: as duas da Eiopia; Prisca Jepto, 3º, Peyse Tadese, 4º e Delvine Relin, em quinto.
Um detalhe interessante destacado pelos comunicadores televisivos é a grande rivalidade e entre esses dois países africanos: Etiópai e Quênia.
Os Jogos Olímpicos do Brasil será no Rio de Janeiro
A corrida de São Silvestre é a maior do país, com sua primeira edição em 1925. Porém, a separação entre corredores masculinos e femininos só aconteceu em 1975. Desde de 2006 o Brasil não ganha a prova feminina, quando a vencedora foi Lucélia Peres. Elas já ganharam a competição cinco vezes. Os homens ganharam por 29 vezes, porém entre da data de sua criação até 1944, corria-se apenas brasileiros. O atleta Marilson Gomes dos Santos é o recordista com três vitórias internacionais.
Os brasileiros têm participação em uma próxima prova de projeção internacional nos jogos olímpicos do Brasil, cuja abertura será em 5 de agosto de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário