segunda-feira, 6 de maio de 2013

FALTA DE ESPERANÇA É A CAUSA DE ÊXODO EUROPEU

O desemprego na Europa é real. Informações publicadas na imprensa nacional e internacional nos últimos meses mencionam as dificuldades de vários países. Notícia divulgada ontem (05) no site IG/Economia fala do êxodo europeu e acrescenta que os políticos são os mais surpresos com a crise. São 10 milhões a mais de desempregados na comparação com 2007, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Uma agência européia afirma que há mais de 20 milhões de pessoas desempregadas e para o desemprego não há esperança de recuperação em curto prazo.
Segundo dados oficiais do Escritório de Migração da Espanha, país que registra 27% de desemprego, 400 mil espanhóis abandonaram o país em busca de trabalho. E o fenômeno ocorre em outros países europeus. O destino é Alemanha, Suíça, países da América Latina e o Brasil. Analistas afirmam que a diminuição dos empregos em alguns países da Europa, acontece de forma estrutural. Ou seja, as ampliações mercadológicas, com o surgimento de novidades tecnológicas não fazem crescer as frentes de trabalho.
O jovem é o mais prejudicado na maioria dos países. Ainda tendo a Espanha como exemplo, lá taxa chega a 57%. Na Itália e em Portugal, a taxa de desemprego juvenil está em torno de 38%. Os dois países estão em situação melhores que Espanha e Grécia. Conforme o site da Wikipédia, o número de desempregados é complicado de se medir. Há métodos e modos diferentes de se chegar a um número final e taxa de desemprego difere de país para país. Isso, por causa da conjuntura específica de cada um e condições estruturais diferentes.
Fonte de pesquisas: jornais, Wikipédia e IG/Economia -


Nenhum comentário:

Postar um comentário